Governo Federal inclui mais 33 áreas do Pará no Bolsa Verde

- Advertisement -

O governo federal incluiu mais 87 áreas no Programa de Apoio à Conservação Ambiental, o Bolsa Verde, sendo que 33 são do Pará. Os demais, definidos pelo Ministério do Meio Ambiente, são do Amapá e do Amazonas. O programa prevê pagamentos trimestrais de R$ 600 às famílias de baixa renda que vivem em unidades de conservação de uso sustentável e em territórios ocupados por povos e comunidades tradicionais, como ribeirinhos, extrativistas, indígenas, quilombolas e outros. Os novos territórios com famílias aptas a integrar o programa estão em 29 municípios dos três estados, sendo 11 no Pará.

Para estar apto ao programa, os participantes se comprometem a preservar o ambiente em que vivem, cuidando da região e usando os recursos naturais de maneira responsável. Os beneficiários também terão acesso a ações de assistência técnica, extensão rural socioambiental, conservação ambiental e inclusão socioprodutiva.

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

O Programa Bolsa Verde foi criado em 2011 e tem como objetivo promover a conservação ambiental e o desenvolvimento sustentável em comunidades tradicionais que vivem em áreas de conservação ambiental no Brasil. Um dos seus principais objetivos é o incentivo à conservação dos ecossistemas, com manutenção e uso sustentável.

Além do auxílio financeiro, os beneficiários também recebem apoio técnico e capacitação para desenvolver atividades produtivas sustentáveis, como o manejo florestal, a agricultura familiar, a produção de artesanato e o turismo sustentável. O programa busca conciliar a conservação ambiental com a melhoria da qualidade de vida das comunidades tradicionais, promovendo a geração de renda e o fortalecimento da cultura local.

Quer ler mais notícias do Pará? Acesse o nosso canal no WhatsApp!

BUSCA ATIVA

O Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima vai realizar durante esta semana, até 19 de abril, a segunda fase da busca ativa para o Bolsa Verde no Pará. Depois de Belém, a oficina direcionada a profissionais do Cadastro Único (CadÚnico) e das secretarias de meio ambiente será realizada, nos dias 18 e 19 de abril, nos municípios de Breves e Melgaço, no Marajó, como parte da Caravana Brasil Sem Fome, destinada a profissionais municipais e líderes agroextrativistas.

A ação tem como objetivo incentivar a adesão de famílias agroextrativistas ao programa. Durante essas atividades, serão apresentadas as condições para participação no programa e realizadas reuniões de articulação com líderes agroextrativistas, autoridades municipais e outras organizações da sociedade civil com envolvimento direto ou indireto no programa. O acesso das famílias é realizado em nome do responsável familiar inscrito no CadÚnico através do site bolsaverde.mma.gov.br/cidadão.

- Publicidade -
spot_imgspot_img

Conteúdo Relacionado

Escola desenvolve projeto de educação ambiental com foco na COP 30

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Aluízio...

Sectet realiza aula inaugural do programa Capacita COP 30

Nesta quarta-feira (15), o Governo do Estado, por meio...

Preservação da Amazônia: demanda global, conta local

  Por Samuel Hanan* Em novembro de 2025 o Brasil sediará...

Laboratório da Cidade lança Agenda de adaptação climática na Amazônia

Erguidas e formatadas a partir de modelos urbanísticos importados,...

Belém terá investimento de R$ 1,3 bilhão da Itaipu para a COP 30

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...
DOL
DOLhttps://dol.com.br/?d=1
Site especializado do portal DOL com notícias, reportagens especiais e informações sobre a COP 30, maior evento climático do mundo, que será realizado em Belém, em 2025, além de temas relacionados, como Amazônia, mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável.