Helder defende mudança no currículo escolar para fomentar discussões climáticas

- Advertisement -

Neste sábado (2), terceiro dia de agendas do Pará na 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2023 (COP 28) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o governador Helder Barbalho participou do lançamento da iniciativa “Green Rising Amazônia – Ação verde pela Amazônia”, uma parceria público-privada com jovens para a sociobioeconomia com base na plataforma global do Generation Unlimited.

O chefe do Executivo paraense acompanhou o evento junto de Cathy Russell, diretora executiva do Unicef; da ministra Shamma Al Mazrui, campeã do Clima Juvenil da COP28; de William Ruto, presidente do Quénia; de Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá; e de Tariq Al Gurg, CEO e vice-presidente Dubai Cares, e fez questão de posicionar o Pará como defensor e integrante da estratégia.

“Green Rising Amazonia” reunirá partes interessadas, redes e parceiros do governo, do setor privado, dos jovens e da sociedade civil para conceber e fornecer estratégias focadas em crianças e jovens para impulsionar a transição ecológica.

À ocasião, Helder reforçou que não acredita na possibilidade de estratégias viáveis de transformação comportamental sem passar pela juventude. Destacou ainda o fato de o Pará já ter Educação Ambiental como item obrigatório no currículo escolar da rede de ensino estadual como estratégia de mudança da máxima, implementada há quatro décadas.

“O grande desafio de preservar a floresta é mudar a consciência das pessoas sobre o uso da terra. Nós acreditamos que só o ambiente escolar é capaz de fazer esta transformação cultural e o reposicionamento da consciência das pessoas sobre o meio ambiente. Apostamos que as escolas públicas devem ser a locomotiva para impulsionar inclusive que este movimento chegue a universalização de todo o ambiente educacional do Pará e do Brasil”, declarou.

Transformação – O governador confirmou que a adição no currículo escolar alcança, neste momento, 565 mil crianças e jovens que passam a lidar com o tema da Educação Ambiental no mesmo nível de obrigatoriedade e de responsabilidade das matérias tradicionais do currículo pedagógico brasileiro.

“Esta semente que nós estamos plantando permitirá com que este movimento e esta juventude nos sejam os mais importantes aliados para a transformação, que passa pela geração destes jovens, mas com estes jovens tendo a ambição de mudar e transformar o pensar das gerações que lhes deram origem”, justificou o governador paraense.

MUDANÇA COLETIVA 

Helder Barbalho foi enfático em afirmar que vê sendo possível a composição de uma grande rede de conectividade em favor da formação de uma nova cultura da sociedade paraense e brasileira.

“Quero reafirmar o compromisso do estado do Pará em podermos construir esta nova história, esta nova agenda, para construirmos o futuro que queremos para a humanidade. Conto com a parceria das Nações Unidas, da Unesco e de toda a sua rede de parceiros na certeza de que, a partir do Pará, lançamos um desafio ao Brasil, para chegarmos em 2025, com todo o Brasil institucionalizando a educação ambiental nas escolas”, concluiu o governador.

PARÁ NA COP 28

Em um esforço coletivo com o governo federal, a iniciativa privada e os movimentos sociais, o Governo do Pará atua para auxiliar o Brasil a recuperar o protagonismo diplomático na agenda climática mundial e conseguir avançar em parcerias e financiamentos internacionais para a preservação das florestas.

“Por participarmos da COP 28 e sermos sede da COP 30, vivemos um momento em que o mundo olha para nós e se dispõe a nos incluir na agenda climática. E quando falo mundo, eu falo o Brasil, inclusive. Queremos que o Brasil enxergue a Amazônia e o Norte como uma solução para os desafios mundiais e nos ajude a apresentar essa imagem de compromisso e modernidade”, avalia Helder.

Com informações da Agência Pará

- Publicidade -
spot_imgspot_img

Conteúdo Relacionado

DOL
DOLhttps://dol.com.br/?d=1
Site especializado do portal DOL com notícias, reportagens especiais e informações sobre a COP 30, maior evento climático do mundo, que será realizado em Belém, em 2025, além de temas relacionados, como Amazônia, mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável.