Plenária reuniu grupos mais vulneráveis a mudanças do clima

- Advertisement -

Belém já respira a COP30, a conferência da Onu para o clima acontece na capital paraense em novembro do ano que vem e deve receber cerca de 50 mil pessoas vindas de todas as partes do mundo. Antes, quem mora na cidade anfitriã se prepara e busca conhecimentos e seus próprios direitos.

A plenária “Identidades Multidiversas e Mudanças Climáticas”, realizada pelo Fórum Municipal sobre Mudanças Climáticas (FMMC) em cooperação com a Secretaria Municipal de Administração (Semad) e Universidade Livre da Amazônia (Ulam), reuniu o público que mais corre o risco de sofrer as consequências da emergência climática em curso. Negros, LGBTQIA+, pessoas em situação de rua, representantes de várias etnias indígenas entre outros grupos vulneráveis estiveram na tarde deste sábado, 25, no auditório do Instituto Federal de Educação, no bairro do Marco, para apontar, discutir, relatar suas vivências e construir o Plano Municipal de Mudanças Climáticas de Belém.

CONTEÚDO RELACIONADO:

Onze plenárias já foram realizadas para ouvir todos os públicos na construção da Conferência Municipal de Mudanças Climáticas que será realizada em novembro de 2024, em Belém. É da Conferência que deve sair o plano que pode mitigar os efeitos da crise climática na cidade.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
DOL
DOLhttps://dol.com.br/?d=1
Site especializado do portal DOL com notícias, reportagens especiais e informações sobre a COP 30, maior evento climático do mundo, que será realizado em Belém, em 2025, além de temas relacionados, como Amazônia, mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável.